segunda-feira, 12 de maio de 2008

Curiosidades e Resultado Oficial das Eleições Presidenciais de 1989: É triste acordar...

As eleições do Simplificando Política elegeram Covas para Presidente (veja post abaixo). Entretanto, a realidade é um pouco mais cruel (diria eu: até mais chata) do que os sonhos dos nossos leitores.

É que as eleições de 1989 foram vencidas por um então jovem mancebo, do qual muito poucos sabiam algo em profundidade.

Olhe aí o resultado oficial da eleição para presidente da República:

PRIMEIRO TURNO:

1º lugar - Fernando Collor de Mello (PRN / PSC) - 20.607.936 votos

2º lugar - Luiz Inácio Lula da Silva (PT / PSB / PC do B) - 11.619.816 votos

3º lugar - Leonel de Moura Brizola (PDT) - 11.166.016 votos

4º lugar - Mário Covas Junior (PSDB) - 7.786.939 votos

5º lugar - Paulo Salim Maluf (PDS) - 5.986.012 votos

6º lugar - Guilherme Afif Domingos (PL /PDC) - 3.271.986 votos

7º lugar - Ulysses Guimarães (PMDB) - 3.204.853 votos

9º lugar - Roberto Freire (PCB) - 768.803 votos

10º lugar - Aureliano Chaves (PFL) - 600.730 votos

11º lugar - Ronaldo Caiado (PSD) - 488.872 votos

12º lugar - Affonso Camargo (PTB) - 379.262 votos

13º lugar - Enéas Carneiro (Prona) - 360.574 votos

14º lugar - José Alcides Marronzinho de Oliveira (PSP) - 238.379 votos

15º lugar - Paulo Gontijo (PP) - 198.708 votos

16º lugar - Zamir José Teixeira (PCN) - 187.160 votos

17º lugar - Lívia Maria (PN) - 179.896 votos

18º lugar - Eudes Mattar (PLP) - 162.336 votos

19º lugar - Fernando Gabeira (PV) - 125.785 votos

20º lugar - Celso Brant (PMN) - 109.894 votos

21º lugar - Antônio Pedreira (PPB) - 86.100 votos 22º lugar - Manuel Horta (PDC do B) - 83.280 votos

SEGUNDO TURNO:

1º lugar - Fernando Collor de Mello (PRN / PSC) - 35.089.998 votos

2º lugar - Luiz Inácio Lula da Silva (PT / PSB / PC do B) - 31.076.364 votos

É... 1989 definitivamente entrou para a história, por diversos aspectos. Algumas coisas, aliás, tornaram-se inesquecíveis na memória de milhões de brasileiros: algumas pela polêmica envolvida, outras pela boa estratégia de marketing e comunicação política, outras, ainda, por beirarem ao ridículo.

Então, para mudar de assunto, para darmos boas risadas e para não cairmos novamente em alguns dos verdadeiros golpes - no sentido de manobra desonesta, claro - que aplicaram nos brasileiros, lembremos de algumas curiosidades daquela eleição:

1) Às vésperas da eleição a Rede Globo promoveu um debate final entre Collor e Lula e, no dia seguinte, levou ao ar uma versão editada do programa em sua exibição no Jornal Nacional: Vários analistas sustentaram que a edição foi favorável a Collor e que teria influenciado o eleitorado (fato este, aliás, admitido mais tarde por várias pessoas ligadas à Globo, conforme se mostra no documentário "Muito além do Cidadão Kane", já recomendado (clique aqui) pelo Simplificando Política);

2) O programa de Lula abria com a vinheta da “Rede Povo” e contagiou gerações com o jingle “Lula lá, brilha uma estrela”;

3) Leonel Brizola imortalizou seu inesquecível “lá lá lá lá lá, Brizoooola” e prometia rever a concessão da TV Globo;

4) Guilherme Afif Domingos também ficou conhecido por seu bom slogan: “dois patinhos na lagoa, vote Afif 22”;

5) O saudoso Enéas Carneiro, em sua primeira aparição ao mundo tinha de fazer sua campanha aos berros, tudo em menos de trinta segundos;

6) Havia, ainda o Marronzinho, que aparecia amordaçado com um locutor, ao fundo, avisando: "Cuidado, ele vai falar!" E quando falou... Disse que iria "obrigar" a Petrobras a usar seu equipamento para procurar água no Nordeste. Cada uma... Seu lema era: "Pobre vota em pobre";

7) Havia também o Antônio Pedreira, outro muito engraçado: Xingava Collor, Lula, Brizola... E quase não tinha programa, de tanto direito de resposta que aparecia;

8) Silvio Santos (sim, o próprio!) também tentou, mas teve sua candidatura cassada pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral). E, de forma curiosa, em seu programa eleitoral, ensinava (veja o vídeo, é muito engraçado!): "quem confia no Sílvio Santos, quem quer dar o seu voto para Sílvio Santos, deve marcar o 26. Então, 26, "Corrêa". Só que não é "Corrêa". "Corrêa" é o Silvio Santos!";

Enfim... Episódios que certamente não veremos mais.

Mas, para mim, ainda fica a pergunta: Devemos torcer para que nunca mais nada daquilo aconteça; ou seria melhor que tudo voltasse, em dobro? Esta, sim, é uma "dúvida cruel"...

Nenhum comentário: